DATA: 28 de setembro de 2011

13ª AULA: ENTIDADES DE CLASSE

A aula tem como objetivo entender a formação das entidades de classe e como elas atuam. Por fim, assistiremos ao filme “Brava Gente – Ana Néri”, com o intuito de entender a história de Ana Néri e sua contribuição para a enfermagem.

ENTIDADES DE CLASSE

ANA – Associação Americana de Enfermagem, conselho que antecede o CIE.

CIE – Conselho Internacional de Enfermagem, atua junto com a OMS (Organização Mundial de Saúde). Que tem como missão representar os enfermeiros em todo mundo, fazendo avançar a profissão e influenciar políticas de saúde. No CIE está congregado as organizações de enfermagem do mundo com 120 associações nacionais. O representante do Brasil antigamente era a Associação de Enfermagem, hoje é representado pelo COFEN (desde 1997).

OMS – A Organização Mundial da Saúde é uma agência especializada das Nações

Unidas responsável pela promoção e melhoria dos temas relacionados à saúde e ao bem-estar, tanto físico quanto mental, além do controle sobre os mesmos. Em 1909, com o objetivo de solucionar as emergências sanitárias internacionais e promover a saúde por meio da difusão de tecnologia e conhecimento, facilitando dessa forma as ações em âmbito global, foi criado o Escritório Internacional de Higiene e Saúde Pública, com sede administrativa em Paris, considerado hoje como a origem da OMS. Em 1946, na Convenção Internacional de Saúde, as estruturas da OMS ficaram estabelecidas. Então, em 7 de abril de 1948, em meio ao contexto pós 2ª Guerra, ela se torna uma agência autônoma vinculada à Organização das Nações Unidas. De autoria dos delegados brasileiros, sua proposta de criação foi estabelecer um organismo internacional de saúde pública de alcance mundial (GONCZAROWSKA, 2011).

*Políticas de Saúde:

- Internacional – busca controle e prevenção de doenças que afetam todo o mundo. Ex.: AIDS

- Nacional – pelo Ministério da Saúde – busca controle e prevenção de doenças que acometem o Brasil. Ex.: Hanseníase, Tuberculose, dengue.

O CIE é um órgão independente, não partidário.

Foi fundado no dia 01 de julho de 1899, em Londres. Atualmente a sua sede é em Genebra-Suiça.

Teve como primeira presidente Ethel Bedford Fennwick (norte-americana).

É dirigido por uma diretoria (1 presidente, 3 vices, 15 m3mbros) todos enfermeiros, a diretoria é escolhida por eleição, os eleitores são os delegados que representam os países (Brasil – 2 delegados – representantes do COFEN). Sua diretoria se reúne apenas uma vez por ano.

FEDERAÇÃO PANAMERICANA DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM (FEPPEN)

A nível continental, especifica para os enfermeiros na América. O Brasil faz parte desde 1969, ou seja, antes da sua criação, estando desde os projetos organizacionais. Foi criado em 1970. O Brasil é representado pela ABEn.

A sede da federação funciona no país da residência da diretoria. O Brasil ocupou duas presidências: de 1996 a 2000 e de 2000 a 2004.

Existe uma revista da federação: Revista Panamericana de Enfermagem.

ENTIDADES NACIONAIS DE ENFERMAGEM

Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn – nacional):

Sociedade civil sem fins lucrativos que congrega enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem. Foi a primeira organização profissional de enfermagem brasileira. Foi fundada em 12 de agosto de 1926, três anos depois da Escola Ana Néri, porém antes da primeira lei do exercício profissional de enfermagem no Brasil.

No seu início tinha o nome de Associação Nacional de Enfermeiras Diplomadas Brasileiras (era apenas para enfermeiras). A Associação Brasileira de Enfermagem é pautada em princípios éticos e de conformidade com suas competências, articula-se com as demais organizações da enfermagem brasileira com vistas ao desenvolvimento político social e científico da profissão. A ABEn tem como compromisso ético, político e técnico propor e defender políticas e programas que visem a melhoria da qualidade de vida da população, maior grau de resolutividade dos seus problemas de saúde e que garantam acesso universal equânime aos serviços de saúde (ABEn/PE). É responsável pela organização do Congresso Brasileiro de Enfermagem e pela publicação da Revista Brasileira de Enfermagem.

→ Representou o Brasil no CIE de 1929 até 1997.

Estrutura: Tem uma jurisdição nacional e um representante em todos os estados. É responsável pelo Conselho Nacional da ABEn (CONABEn) tem uma diretoria central e pelo conselho fiscal.

O que é discutido no Conselho da ABEn é tudo que está ligado a técnica científica.

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) e Conselhos Regionais de Enfermagem (COREN):

Foi criado no dia 12 de julho de 1973 pela lei 5.905. Criado com o objetivo de fiscalizar o exercício da profissão. Objetiva normatizar e expandir instruções para uniformidade de procedimentos e bom funcionamento dos Conselhos regionais.

- Sua filiação é obrigatória.

COREN:

É o conselho regional, que delibera sobre inscrições  no Conselho e seu cancelamento. O Conselho Regional de Enfermagem do Estado de Pernambuco – COREN-PE – é uma Autarquia Federal, que fiscaliza e disciplina o exercício profissional da Enfermagem. As ações do COREN-PE tem como fundamento a legislação profissional e o código de Ética dos profissionais de Enfermagem. Também fundamenta-se nas Resoluções do Conselho Federal de Enfermagem, o COFEN, e demais legislações e normas sanitárias vigentes no Brasil (COREN/PE)

Sindicatos:

Tem a finalidade de defender os interesses profissionais, representando a classe em negociação salarial. Sua filiação é facultativa.

Resenha do filme: Brava Gente – Ana Néri

O filme Ana Neri – Brava Gente, teve a interpretação da Ana Neri pela atriz Marília Pêra. Ana Neri escreve ao presidente da província oferecendo-se para cuidar dos feridos de guerra do Paraguai voluntariamente, enquanto o conflito durasse, pois seus filhos tinham ido para guerra. Logo partiu para o Rio Grande do Sul, onde aprendeu noções de enfermagem com as irmãs de caridade de São Vicente de Paulo. Apesar das faltas de condições, como falta de higiene e de materiais e excesso de doentes, Ana chamou a atenção por seu trabalho como enfermeira por várias regiões por onde passou. Chegando ao hospital São Lázaro, se deparou com mais de mil homens feridos. Começando então uma dura jornada de trabalho. Ana enfrentou muitas dificuldades, pois esse período foi marcado por forte rigidez militar, ela resolveu criar cinco grupos para a melhoria da enfermaria, onde um era responsável pela limpeza da enfermaria, outro por cortar os cabelos e fazer a barba de todos os doentes, outro responsável pelo café da manhã, outro pelo banho e o último responsável por arranjar cal para acabar com os piolhos. Suas ações trouxeram muita raiva e inveja por parte dos médicos que ali comandavam. Chegou a fazer uma cirurgia em uma criança que estava na enfermaria sem autorização, sendo foi rigorosamente castigada a lavar as roupas sujas de todos os doentes durante uma semana, porém isso não há abateu, e como muitos gostavam do trabalho de Ana Neri começaram a ajuda-la. Ana era proibida de ir para uma área considerada para pacientes com doenças contagiosas e ao chegar nesse isolamento verificou que a realidade era que haviam presos que eram torturados até a morte, e sem medo também libertou o Tenente Coronel paraguaio que lá estava preso. Dessa vez, não houve punição. Ela confessou o que fez, porém acabou com a impunidade e com a rigidez militar regida pelo médico chefe do acampamento. Chegou a se deparar com a morte de seu filho na guerra.

Os paraguaios voltam a atacar o acampamento, Ana então perdeu quase todos os amigos que ali fizera. Sendo salva da morte pelo Tenente coronel que ela salvou. A batalha acaba e Ana volta a cuidar dos que ali precisavam.

REFERÊNCIAS:

ABEn/PE. Associação Brasileira de Enfermagem. Seção Pernambuco. Disponível em: http://www.abenpe.com.br/abenpe.html/. Acesso em: 02 de out de 2011.

COREN/PE. Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco. Disponível em: . Acesso em: 02 de out de 2011.

GONCZAROWSKA, Humberto Jorge; et al. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE . “Uso de Biotecnologias: seus impactos na produção de medicamentos e organismos geneticamente modificados”. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 de out de 2011.